A grama sintética está cada vez mais conhecida e utilizada nos mais diversos ambientes — residências, quadras esportivas, playgrounds e, até mesmo, na decoração de interiores e eventos.

Esse tipo de grama nada mais é que uma superfície artificial que “imita” a grama natural. No entanto, o que se percebe é que essa escolha de adotar o gramado artificial em vez da grama natural não é apenas pela aparência similar — existem diversas vantagens que tornam essa uma excelente opção.

Para ajudá-lo a entender melhor o que é uma grama sintética e como escolhê-la, fizemos este post! Continue a leitura e saiba tudo sobre esse tipo de superfície. Confira!

Grama sintética: o que é e como funciona?

A grama sintética é uma superfície artificial produzida a partir de polietileno virgem ou polipropileno — ambos materiais sintéticos e bastante similares à grama natural.

Por ser composta de materiais de ótimo custo-benefício e alta durabilidade, a grama sintética tem sido cada vez mais utilizada nos mais diversos ambientes, já que permite aquela aparência de gramado “verdinho” por muito mais tempo.

Como um material facilmente aplicado, tem sido muito procurada, tornando-se uma opção de menor gasto com manutenções, já que não exige despesas com irrigações, poda e eliminação de pragas.

Quais são os tipos de grama sintética?

Usada tanto em espaços decorativos (como paisagismos e decoração de ambientes interiores) quanto em campos esportivos, a grama sintética tem sido uma excelente opção.

A versatilidade do material estimula a aplicação, principalmente pelos diferentes modelos de grama sintética que existem no mercado. Isso porque sempre há a possibilidade de adaptação para os diferentes ambientes.

Porém, há uma ressalva: a grama sintética não é aconselhada para locais que mantêm contato com o fogo, já que é constituída de fibra sintética. Ou seja, mesmo não sendo inflamável, a superfície sofre deterioração no local de combustão.

Existem 5 tipos de grama sintética, sendo que cada um apresenta características e indicações de uso específicas. Acompanhe:

Grama 10 mm

Indicada para uso em escolas, playgrounds e parques urbanos, a grama sintética de 10 mm é a opção perfeita para quem procura um material de alta qualidade e com um excelente custo-benefício.

Grama 12 mm

Similar à grama de 10 mm, o gramado de 12 mm tem fios curtos e é uma escolha para quem busca qualidade, durabilidade e segurança para aplicações em playgrounds, tapetes decorativos e pets.

Grama 20 mm

Esse tipo de superfície tem fios totalmente lisos, sendo sua aplicação direcionada para ambientes decorativos. Confortável e de alta durabilidade, pode ser usada em brinquedotecas, ambientes externos e internos, entre outros.

Grama 30 mm

Similar ao gramado natural, a grama de 30 mm é utilizada amplamente em jardins e outras aplicações decorativas. Os fios bicolores dão vida ao ambiente e projetam, no seu espaço, uma beleza comparada à aparência dos gramados naturais. Alternativa perfeita para quem busca reduzir custos de manutenção sem perder a harmonia da grama natural.

Grama 50/60 mm

É uma superfície amplamente utilizada em campos esportivos, como quadras de tênis, putting green e mini golf. Inclusive podem ser homologadas pela FIFA.

Quais são as vantagens da grama sintética?

A composição do gramado sintético indicado para uso esportivo ou decorativo é a mesma, porém, o que muda são as bases simples ou duplas, dependendo de sua utilidade, já que alguns requerem alta densidade e também a possibilidade de preenchimento superficial de areia, quando necessário.

Outra diferença entre a grama sintética decorativa e a de uso esportivo é o tamanho dos fios, já que o material para uso em campos esportivos requer um “recheio” para ancorar o gramado ao piso e, por isso, apresenta altura maior.

Uma outra diferença do gramado sintético decorativo em relação aos sintéticos para uso esportivo está na base, que demanda maior resistência nos casos esportivos, não sendo tão exigida para uso decorativo.

Há uma demanda crescente pelas gramas sintéticas, principalmente pelo:

Custo-benefício

A opção pela grama natural não deve ser avaliada apenas pelo gasto financeiro inicial que exige, mas também pela dedicação, pelo tempo e pela energia e recursos necessários para mantê-la. Se o objetivo é reduzir custos e ainda ter uma grama viçosa e bonita o ano inteiro, a solução é a opção sintética.

O gramado sintético é uma solução prática e econômica. Assim como a natural, a sintética tem custos de instalação e manutenção, porém tais investimentos são muito menores que os exigentes pelo gramado natural.

O gramado sintético não demanda gastos de manutenção frequentes, como irrigação, cultivo ou corte.

Durabilidade

O gramado artificial tem uma durabilidade superior ao natural — aproximadamente, 15 anos. Mesmo sendo bem utilizado, pode durar por muitos anos sem sofrer com a ação da chuva e do sol, ou seja, mantém o aspecto novo por muito tempo.

Segurança

Esta é uma das principais motivações de quem opta pelo gramado artificial: a segurança. Tais revestimentos são ideais para quadras esportivas e playgrounds, já que são materiais antiderrapantes e que ajudam a absorver eventuais impactos, além de serem antiabrasivos, impedindo arranhões e lesões que outros materiais sintéticos costumam causar.

Como adotar a grama sintética no projeto?

Quando a grama sintética é adotada em um projeto, uma série de fatores precisa ser analisada, como o local, o tipo de solo e a intensidade do fluxo de pessoas. Além disso, é importante conhecer as características de cada tipo de produto disponível no mercado, de modo a qualificar o material e verificar sua qualidade.

Pensando nisso, levantamos algumas dicas que devem ser levadas em conta na hora de escolher o gramado sintético. Observe:

Instalação

A instalação de um gramado sintético ocorre de maneira similar a um carpete. Ou seja, sobre um contrapiso regular e liso, são realizadas a limpeza e a lixação da superfície e, posteriormente, é colocada a cola, pregada com pinos de aço ou somente acoplada com um recheio superficial.

É fundamental que, antes de ocorrer a instalação, seja realizado um estudo da área, já que existem diferentes maneiras de execução, sendo possível optar não apenas por fazê-lo sobre contrapisos, mas também diretamente na terra ou sobre uma camada de areia, lona, lajes etc.

Manutenção

A limpeza do gramado sintético é feita de maneira diferente da higienização das gramas naturais, mas isso não significa que não seja necessário ter atenção e cuidado no processo de limpeza.

A frequência de manutenção é determinada conforme a frequência das chuvas que, por ação da gravidade, influenciam a movimentação do recheio. Em geral, no gramado sintético de uso no paisagismo, sem recheio, a limpeza é feita com jato de água, sem alta pressão, evitando fragilizar as pontas.

Já em campos esportivos, é feita com escovação, mantendo, assim, o recheio nivelado e sem influenciar na exposição das fibras.

Finalidade

Para aplicação em campos esportivos (como quadras de futebol, vôlei, tênis etc), a grama sintética recebe bases duplas ou triplas para se tornar mais resistente ao impacto; areia sílica sob a base (evitando o desgaste gerado pelos cristais da areia convencional); e grânulos finos de borracha, protegendo a grama contra pontadas.

Já em outras aplicações, como jardins e decorações, a composição é praticamente a mesma — aquela utilizada nos campos esportivos —, no entanto, com as bases simples, já que o atrito é bem menor.

Agora que você já está por dentro do que é a grama sintética e de quais as suas principais características, que tal entrar em contato conosco e conhecer nossos serviços? Esperamos por você!